Toda terça-feira, há 5 anos, o físico Luiz Alberto Oliveira vem falar de filosofia aqui. É muito útil. Ninguém quer ser intelectual, mas a gente fica com uma idéia do planeta, que está lá no fim da galáxia, longe de tudo. Isso dá a você uma idéia melhor da precariedade do ser humano, que é um fodido. Nasce, morre, como outro bicho qualquer, então por isso mesmo ele deve ser mais modesto, não pensar que é importante. O sujeito que pensa que é importante é para mim um débil mental. -Oscar Niemeyer

quarta-feira, junho 30, 2004

Venho notificar aos egregíssimi, venerabilissimi, diletíssimi amigos, que o blog retomará as atividades a partir do dia 5 de julho vindouro (uma previsão ideal, não de fato). Trago também a previsão do retorno de meu alter ego ou personagem literário, Mr. Debrou - penso que alguém, como eu, esteja com saudades do pândego "polemizador supra-romântico" - o políticamente correto cansa!! Outrossim, peço desculpas por minha recente ausência às lides internéticas.

beijos às meninas, abraços aos rapazes

vosso

MM

segunda-feira, junho 07, 2004

Esta é para Frank Solari e Richard Powell morrerem de inveja! Um cd autografado pelo "vinman" himself. Eu sei que o Powell daria uma mão para ter um destes! Já o Frank, who cares? ;)




Aqui, uma Washburn N4 sunburst e uma Jackson "aditivada"

domingo, junho 06, 2004

What do "you" want from me?



Deixem-me completar o post...

"As you look around this room tonight
Settle in your seat and dim the lights
Do you want my blood, do you want my tears
What do you want
What do you want from me
Should I sing until I can’t sing any more
Play these strings until my fingers are raw
You’re so hard to please
What do you want from me (...)"

WDYWFM, Pink Floyd

sábado, junho 05, 2004

Palavras abjetas, elocubrações metafísicas cabotinistas e outros diletantismos recalcitrantes



1. ficar
Dicionário Aurélio: fi.car v.t.d. Bra. Gir. Trocar carinhos por período curto, mas sem compromisso de namoro.

Essa palavra popularizou-se, entre outras coisas, por servir de desculpas à vulgaridade. Roberval ficou com a Marcinha, com a Fernanda, com a Paula, e no dia seguinte todo mundo fica sabendo. Resumindo: é um galinha - e as outras três não se dão ao respeito. Uma "atiração" tal que os pontos de encontro, sejam boates, danceterias, barezinhos, transformam-se em prostíbulos e lupinários. O aspecto verbal de "ficar" significa "rodízio de opções". Transitoriedade.

2. date
segundo o Michaelis: datar, namorar.

Essa é tipica de colunistas sociais, os mais bregas e fúteis possíveis - perdoem-me o pleonasmo. Muitas vezes você verá na coluna social: "Roberval dos Santos e sua date estiveram presentes (...)". Sim, o outro ser inanimado não tem nome! É apenas a inominável e descartável criatura que, naquele momento, faz companhia ao Roberval. O aspecto verbal adquirido é similar ao de ficar: temporariedade de estado. Não necessariamente de transitoriedade ou rodízio, mas de algo que está fadado a acabar. Daqui a pouco, prescreve e o Roberval está com outra. Resumindo, o Roberval é um mulherengo. E a sociedade aplaude...!

Bluestation no 8 1/2, especial Pink Floyd



Estava eu indo para o 81/2, é perto de onde moro, então costumo ir a pé. Em determinado momento, parou um carro, achei que fosse alguém perdido, procurando algum endereço, que houvesse deixado o carro apagar ou com algum outro problema. Sim, estou meio atrapalhado da visão, nem reparei. Continuei meu caminho. Daqui a pouco, quase chegando, para de novo, pouco à frente de onde eu estava. Cara#$%, recebi uma cantada de uma criatura!! Fiz que não ouvi e atravessei. Não sei sequer se era homem ou mulher (melhor nem saber), só sei que foi muito engraçado... rsrsrs

O show estava legal, desta vez a Bluestation tocou só Pink Floyd, exceção feita a um cover do SRV, encerrando o show. Infelizmente eles não tocam nenhum Syd Barrett, o repertório aborda apenas um ingênuo Pink Floyd pós Animals (a maior parte concentrada no The Wall). Previsível demais. Quando tocaram Wish you Were Here, aproveitei para ir ao banheiro. "Balaca" demais é uma coisa que me ataca os nervos, principalmente em se tratando de música "pop". "Hey, acordem, vocês não estão fazendo nada de genial"!! Mas há tantas bandas ruins que os cara têm mesmo que serem aplaudidos como um oásis de luz. Afinal de contas, só o fato de trazerem a música do PF com grande competência a incautos ouvidos, já vale a eles memorável mérito. Palmas para a Bluestation.




Mental Fatigue

Cansei em contemplar teu travesseiro, again and again almejando tua face, e triste deparar-me em tua ausência. Cansei ao fitar as paredes da sala e ver tantas lacunas e pregos deixados na parede (tantas quanto em meu coração). Cansei ainda da solidão que o "quarto de Van Gogh" insiste em impingir à minh'alma, beirando insofismável esquizofrenia.

Cansei, triste ao olhar para a pia da cozinha - sôfrego e pueril despertar da aurora - e nela não encontrar teu copo de "Nescau". A escova de dentes, peças na torneira do box do banheiro, sapatos na sala, fazer aquele mingau, ou quando dizias: "faz um carinho nas costas". Cansei da saudade, perceber que agora o "nós" transfigura-se em "eu" e "tu", não ter tua jovial alegria sempre presente, de não mais ter tua poesia em minha vida, entoando sutis cantilenas. O clachè comprado na padaria que dividíamos aos domingos antes do plantão... coisas simples e belas, a beirarem o pueril!

Cansei ao não mais encontrar todos aqueles clichês cativantes e singelos - a beleza nas pequenas coisas - compondo uma quase "klimtiana" colcha de retalhos, perfilando cândido mosaico. Cansei do "não abraçar-te", "não beijar-te", agora inexequíveis momentos, inconfundíveis suspiros e ais, cerrar suavemente meus lábios nos teus, corpos entrecortados ao espelho, despindo adornos, inflamar e durar... sim, a adejar pelo infinito.

Cansei também ao sentir-me incrivelmente só nesta selva de pedras, deparar-me, lânguido e errante, como morto-vivo a ensaiar orações, balbuciar palavras que ao entorpecer da noite parecem destinadas ao jazigo gélido da campa, um nome na lousa, observando o sol morrer ao escutar dobres de sinos.

Cansei das lágrimas percorrendo minha face; angústia, asfixia, encorrem pelo box do chuveiro, junto à água e sabão, banho de longas horas. Acertos, desacertos, minha mente a perfidiar. O insidioso e cortante "aroma de amoras azedas" a desdenhar ao ocaso...

...em paradoxal ontologia, cansei de amar.

Porto Alegre, 30/03/2001.



O tempo é capaz de transformar dores em hipocrisias. E assim ele cura. Parafraseando um amigo, "as pessoas pensam que amam".

Certa vez alguém me disse, nestas exatas palavras: "Qual é a maior qualidade do homem? Amar intensamente alguém, perder essa
pessoa, e conseguir amar uma outra ainda mais que a primeira."
Claro que não se trata de uma "maior qualidade do homem", mas é algo notável. Whatever.

terça-feira, junho 01, 2004

Atualizando as leituras:
Crítica da Razão Pura, Immanuel Kant
Dos Deveres, Marcus Tullius Cicero
Política, Aristóteles
A República, Platão
Noite Na Taverna, Álvares de Azevedo
- junto a Machado de Assis e Lima Barreto, meu escritor brasileiro preferido, escreve com elegância e profundidade ímpares
O Estrangeiro, Albert Camus
- Neste, Camus expõe de forma genial suas angústias e elocubrações existencialistas. Clássico absoluto, leitura obrigatória.

Descobri um link formidável:
Literatura Brasileira em meio eletrônico
significado: mais horas perdidas na net... :-/

Hoje foi dia de dar um abraço na Ritinha pelo níver dela. Flores e um cartão. Interessante como algumas pessoas têm a rara sensibilidade para valorarem um gesto, as flores eram super simples mas a guria adorou!

Triturei um Cup Noodles, daqui a pouco vou no "eight and a half", assistir ao especial Pink Floyd. Não sou fã da Bluestation, mas esse especial é ótimo! Não posso ficar até tarde. Tô saindo agora! T+, bjuss!

Books

  • CHESTERTON, G. K.. Ortodoxia
  • CLAUSEWITZ, Carl von. Der Krieg
  • COLERIDGE, S. T. Biographia Literaria
  • EVOLA, Julius. Men Among the Ruins
  • GUDERIAN, Generaloberst Heinz. Panzer Leader
  • GUÉNON, René. The Crisis of the Modern World
  • JUNGER, Ernst. Storm of Steel
  • SCHMITT, Carl. Der Begriff des Politischen
  • SWIFT, Jonathan. Panfletos Satíricos

Fave music:

Syd Barrett's Pink Floyd, Cream & Clapton, King Crimson, Univers Zero, Heldon, Faust, Magma, Mahavishnu Orchestra, Miles Davis, Astor Piazzola, Frank Zappa, Marty Friedman, Al Di Meola, Jefferson Airplane, Led Zeppelin, Funkadelic, Allman Brothers, Blue Cheer, Beatles, U2, Chrome, Velvet Underground, The Stooges, John Cage, Villa-Lobos, Beethoven, Bartók, Stravinsky, Bach... & Coltrane, Coltrane, Coltrane, C-O-L-T-R-A-N-E-!

E SLAYER, PORRA.

Pleonasmo


Powered by Blogger

Resolução mínima recomendada: 800x600


O Autor

O homem só será capaz de atingir sua racionalidade plenamente quando for capaz de despir-se de tudo o que lhe deveria ser abstruso, principalmente os adereços da ignorância e do preconceito.

Plus au sujet de moi: Vous la saurez en temps voulu... Ou peut-être vous ne saurez jamais... Qui sait? Ah, arquétipos: tropismo por mulheres de óculos.


"O casaco de Arabela Tá com bosta na lapela É bom, mas está borrado. Veio o inverno, veio o frio, O casaco ainda serviu, Borrado não é rasgado." Bertolt Brecht


Humor: Les couleurs du chat peuvent changer.