Toda terça-feira, há 5 anos, o físico Luiz Alberto Oliveira vem falar de filosofia aqui. É muito útil. Ninguém quer ser intelectual, mas a gente fica com uma idéia do planeta, que está lá no fim da galáxia, longe de tudo. Isso dá a você uma idéia melhor da precariedade do ser humano, que é um fodido. Nasce, morre, como outro bicho qualquer, então por isso mesmo ele deve ser mais modesto, não pensar que é importante. O sujeito que pensa que é importante é para mim um débil mental. -Oscar Niemeyer

domingo, março 28, 2004

Na segunda-feira estarei indo a Belo Horizonte para fazer uns exames. Existe um centro onde está sendo desenvolvido um tratamento inovador para o problema que eu tenho na visão, consegui adiantar uma consulta que só haveria possibilidade de fazer em setembro, e se as coisas correrem de acordo com o esperado, há a perspectiva de nesta mesma semana realizar uma cirurgia. Espero que tudo dê certo e eu possa encerrar uma fase que me foi muito difícil e triste. Esta notícia foi motivo de imensa felicidade.

Muitas vezes foi constrangedor, acordar de manhã com uma fotofobia tão absurda que não era possível sequer sair de casa, ou não conseguir enxergar ou colocar as lentes de contato, ou simplesmente não conseguir levar uma vida "normal". Era uma situação humilhante, constrangedora. Tenho feito um esforço enorme para resgatar coisas que pareciam esquecidas, sempre fui alguém brilhante, divertido, interessante, especial, estava tão triste mesmo que praticamente havia esquecido quem eu era. Vai dar tudo certo. Aliás, parece que tem dado tudo certo!

Incomoda-me pensar que eu não deveria escrever nestes momentos nos quais estou tão emotivo, portanto, peço tão somente que não me julguem por tal. Ser sincero nestes momentos é de fato uma tarefa difícil.



No domingo passado saí da Redenção, onde encontrei pessoas as quais estava com bastante saudade, e na volta passei na dona Sílvia (vizinha) para deixar um pedaço de torta. Ela não estava, estava apenas a filha, que ficou praticamente 'nas nuvens' com a minha visita, convidou-me a entrar, mas eu, como um "moço direito", permaneci na porta. Ontem a Sílvia veio me devolver o prato em que eu deixara a torta e retribuiu com uns pastéis.



Lista de leituras:
Regras de Ulpiano (versão bilíngüe latim/português)
Discurso do Método - Descartes
A Luta Pelo Direito - Rudolf Von Ihering
Dos Delitos e das Penas - Cesare Beccaria
Ética a Nicômaco - Aristóteles



Música:

Apesar de estar levando a música tão somente como um hobby - e se "colar, colou", tenho tocado bastante, chegando a praticar duas a três vezes por semana, de 2 até 4 horas por dia, como no domingo. É um momento no qual eu esqueço do mundo, as mãos articulam-se sobre o instrumento como se fizessem parte deste, e este como se fizera parte da minha existência, as notas fluem como se a alma pudesse cantarolar deliciosas melodias e cantigas, mimos e carícias, ou em outros, derramar desejo e paixão, fúria e intempérie.

Quem toca um instrumento musical sabe a dádiva que isso significa, e do quanto a cultura é um elemento imprescindível na formação da personalidade e intelecto de um homem. Uma pessoa sem cultura tem visão estreita do universo que a cerca, torna-se limitada, ou ainda imersa em um abismo de ignorância. Essa carência cultural é um dos grandes males da sociedade moderna.

terça-feira, março 23, 2004

Frase solta - ética:

Não guardes dor ou sofrimento, para que contigo ou por ti não sofram aqueles que te amam. Entretanto, cada lágrima derramada por aqueles a quem amamos é um momento de tributo, solenidade, grande honra e glória para o coração de um homem.

A meus pais, família e amigos, amo vocês.

______________

Tive uma noite desastrosa e cômica: cheguei em casa com uma dor de cabeça absurda - que vai e volta desde domingo-, tirei as lentes de contato, uma delas escapuliu pelo ralo da pia, perdi; após isso consegui quebrar o bule da cafeteira de expresso ao retirar a toalha da mesa para lavar; não consegui preparar um texto; não consegui dormir direito, enfim... ainda bem que dias como esses são raros!

segunda-feira, março 22, 2004

Uma foto recente, 9 de março de 2004






Falei com o Bee no sábado, disse-me ele que o Marcelo ligou falando sobre o site que eu estava preparando para a banda: "cara, falei com o Marcelo agora a pouco, ele está abobado sobre o site que tu tá preparando para a banda, disse que na abertura tem uma moeda que gira e tal, está ficando do caral..." ... A moeda é um rublo russo, símbolo da capa do CD. Talvez eu seja exigente demais, pois eu estava achando tudo super simples, mas é bom saber que teve aprovação ou causou impressão positiva... rs Não usei nenhuma ferramenta das usuais para web developing, dreamweaver, etc, tenho digitado o código HTML direto no notepad, de forma bastante "low level" e artesanal. Sim, porque estas ferramenteas são covardia, não sobraria nada para fazer!!

Alias, fico curioso, porque eu geralmente tenho receio de desapontar as pessoas (em qualquer âmbito), e observo que invariavelmente supero as expectativas. :-)


Pe'co desculpas pelo post imediatamente abaixo, era uma lista de curiosidades mas tive que sair `as pressas e deixei pela metade. Por engano, foi publicado. :ops:

quinta-feira, março 18, 2004

De coloribus et gustibus non est disputandum


- cor: azul
- bebida: vinho (tinto), cerveja, martini
- estação: inverno
- time: Gremio FBPA
- fruta: melão
- comida: italiana, árabe, japonesa, frutos-do-mar
- virtude: senso de justiça (virtude plena)
sonho: uma esposa de comercial de Molico, uma família de propaganda de margarina, um cão labrador. Todo mundo cantando "Oh Happy day", ou "I Feel Good"...
- máxima: "não faça com os outros aquilo que não gostarias que fizessem a você"
- discos que marcaram: DSOTM (Pink Floyd), Physichal Graffitti (LZ), Layla (Derek and the Dominos, tanto que tenho este em edição especial), Machine Head (Deep Purple)
- beleza: natureza, vegetação silvestre
- beleza: Alicia Rickter
- cidade: Montevidéu (tradição, cultura, todo o conforto de uma cidade grande, como Porto Alegre, mas sem os problemas desta)
- animais: cães, cavalos, gatos (ainda que sobre os últimos eu ainda apanho bastante)
A vida é bem mais simples do que pensamos. Novidades:

1. Recentemente fui no oftalmo, onde fiquei de encaminhar alguns exames. A notícia é que, devido ao deterioramento acentuado da visão no meu olho direito, onde a acuidade focal da lente de contato rígida neste, ainda que razoável, está no limiar do que o abalroamento na topografia da córnea permite a seu uso, ficou desta forma acertado o ingresso na lista de espera para transplante de córnea.

Se esta notícia tivesse vindo há alguns meses atrás, ainda que fosse uma hipótese provável, eu provavelmente teria surtado (e na época, esta hipótese quase me enlouqueceu). Minha reação foi praticamente impassível, inabalável, o que tiver que ser feito, será. Se um problema traz consequências inevitáveis, de que adianta me estressar ou ficar deprimido? Além de não resolver nada, será tão somente um problema a mais. Outrossim, acredito piamente que tudo será resolvido. É melhor do que ficar do jeito que está. Pelamordedeus, por favor, nada de comiseração!!! Naaaa!!!!! Estou super bem, feliz. Claro, adoraria poder contar com a proximidade, solidariedade e afeto das pessoas as quais mais quero. A capacidade de superação e adaptação do ser humano é impressionante, não há qualquer outra posição que eu possa admitir que não uma postura de proatividade.

:-)

2. Mudando de saco para mala, comprei minha geladeira, chegou na semana passada. Uma Consul biplex 360, lindinha. Caramba, fiquei ultra satisfeito! A primeira coisa que fiz foi fazer um rancho e encher a danada... comprei tudo de bom, até aquele spray creme de chantilly para fazer uns cafés metidos à besta! E cerveja é que não falta!

3. Até quando estou ausente, ando recebendo elogios. Esse tipo de reconhecimento é gratificante.


Ah, sim, reativei os comentários...



A mulher ideal!! Have fun:
http://vhost.oddcast.com/vhost_minisite/demos/tts/tts_example.html

A vida é bem mais simples do que pensamos. Mas não significa que sejamos acomodados! :P

domingo, março 14, 2004

Mais leituras:

- Vida de Galileu - Bertolt Brecht
http://www.culturabrasil.pro.br/brecht.htm
http://www.olavodecarvalho.org/semana/02232002globo.htm

Escrita para teatro, calcado em uma narrativa bastante humorada, pitoresca, poética, centraliza-se na vida do assim considerado pai da ciência moderna e sua incessante busca pelo conhecimento e a razão, o saber obtido através da dúvida, do questionamento. É também um libelo contra o autoritarismo nazista. Traz uma função conscientizadora, capaz de provocar ao leitor reflexões acentuadas sobre determinada realidade social. Em aventuras e passagens através de Pádua, na república venetiana, no ducado de Firenze, na politizada e teocrática Roma, em que suas idéias direcionam-se ao confrontamento dos modelos aristotélicos, ptolomaicos e teológicos vigente sobre astronomia, Galileu constantemente parece um nome destinado a arder nas fogueiras do Santo Uffizio della Inquisizione. Galileu proclama: "nova ciência, nova ética". "Et pur si muove!" Uma leitura extremamente agradável e inteligente.

- Segundo Tratado do Governo Civil - John Locke
http://www.utm.edu/research/iep/l/locke.htm#Two Treatises of Government

Assim que sobrar tempo, coloco algumas impressões sobre algumas das referidas leituras.




O domingo foi ótimo, tranquilo. Saí com o Feijão, levei junto um livro, encontrei minha vizinha e falamos mais de uma hora. O fê tem me surprendido, não me dá trabalho algum, não faz sujeira dentro de casa, as necessidades, sempre na rua. Alegre, obediente, leal, amigo, está angariando uma legião de fãs, todo mundo se apaixona por ele.

Vizinhança

Não sei porque, minha vizinha (mora imediatamente em cima do meu apartamento), Sílvia, parece a cada dia adquirir mais adoração e apreço por minha pessoa. Por vezes a encontro no corredor e conversamos demoradamente. Ontem a encontrei, ela deixou o telefone, comentou comigo algo a respeito de que já me tinha como um filho, disse que faria uma torta de bolachas e me traria um pedaço (vou esperar). A filha dela, ontem, bateu à minha porta para deixar uma generosa fatia de melancia. Eu não estava em casa, a Sílvia veio mais tarde me trazer e eu nem soube como agradecer. Talvez pelo meu caráter sempre cordato, gentil, atencioso, simpático, tratando as pessoas sempre com urbanidade e respeito, ainda que muitas vezes humilde e reservado (o que muitas vezes confunde-se com timidez), transpareça ou favoreça relações de empatia e confiabilidade.

Para meu espanto, outra vizinha, que parecia invariavelmente de cara amarrada (e a Sílvia me confirmou ser esta geralmente antipática), apresentou-se nominalmente, ficou à disposição para ajudar em qualquer coisa, recebeu-me super bem. Mas mesmo sendo simpática, a cara é mesmo fechada! Deixou o horário que chega o carteiro, recolhimento da basura. Comentou que não teria ânimo para morar sozinha, como eu. Fiquei surpreso, todos os vizinhos têm me acolhido bem. Ser bem recebido é sempre uma alegria indizível, sinto-me em casa.

O bairro

Uma vantagem descomunal que encontrei na vizinhança foi o enorme senso de praticidade. Além de ser perto do bairro em que morava anteriormente, o que significa que as vantagens já adquiridas não são perdidas, agora já ambientado com o novo, tenho aproveitado melhor e desfrutado do ambiente. Shopping, cinemas, supermercado a menos de duas quadras. Ferragem, farmácia, banco, tudo perto. Perto do centro. Conduções para todos os lados (eu que considero muito mais prático andar de lotação e táxi do que de carro, não sinto muita falta deste). Posto de conveniêcia à uma quadra, onde posso comprar pão quentinho praticamente a qualquer hora (o integral com gergelim é uma delícia), ou parar para beber uma boa taça de café com pão de queijo. Nas cercanias do Parque Marinha, pôr-do-sol no Guaíba. Várias cafeterias e uma pastelaria que eu recomendo vivamente: por R$ 2,50, um ótimo e bem servido pastel de frango ao catupiry, que acompanhado de uma lata de Polar, é o 'must' para o final de tarde.




Na Ritter o ambiente é ótimo, mais do que isso, traz uma sensação calor humano, transparência, confiabilidade, que elegem a instituição com graças de respeitabilidade e auspiciosidade. Em uma aula de apresentação do novo currículo, onde estavam presentes todos os setores coordenativos e administrativos do curso, onde ficou claro que se privilegia uma visão humana, conheci inclusive o Reitor - comparando com a ULBRA, onde o Reitor era uma figura distante e desconhecida, em que apenas ostentação e dinheiro pareciam valorar, há um abismo de diferença. O novo currículo é bastante malável, possibilitando que cada acadêmico, dentro do possível, desenvolva este de acordo com suas ambições e necessidades, uma inovação em cima da antiga estrutura acadêmica estática que vigora há mais de 170 anos no Brasil. rígida Sinto-me empreendendo uma carreira brilhante, e extremamente disposto a isso, já com objetivos definidos. Com o meu privilegiado círculo de relações, não será difícil em breve obter estágio ou emprego, como também vislumbro desde já a possibilidade, almejada, de realizar concurso em âmbito federal para a magistratura - há, portanto, bastante tempo para me preparar para tal. Morando perto do fórum, fica também bastante prático sair de casa para as práticas forenses, requisito acadêmico. Ainda falta um bom percurso, mas desde já, colocam-se bastante viáveis. Enfim, coisas que, antes, eu não conseguia imaginar no âmbito da Computação (que fechava meu temperamento ainda mais e além dos prejuízos à saúde, no que diz respeito à minha visão, definitivamente, não motiva), e que, convenhamos, concluí com afinco que este deveria ser um curso técnico. Até lá surgem outros concursos, onde por enquanto o Banco do Brasil já foi vencido com sucesso. Era isso.

Além de todo o relatado, tenho me sentido incrivelmente feliz. Rebus sic stantibus.

sábado, março 13, 2004

Ando sem tempo para o blog, sem tempo para desperdiçar na internet, blog é coisa de muierzinha, então, peço paciência aos insignes leitores!

Fui viajar, resolvi deixar que religassem minha DSL apenas agora, em março, mas devido a dificuldades técnicas ainda não estou podendo acessar. Penso inclusive em voltar para o velho sistema "dial up", visto que eventualmente, para transferências de arquivos, updates em sites da web, posso tranquilamente acessar fora de casa. Além do mais, algumas relações ficam impessoais em demasia e muito tempo na internet me estressa (apesar de que ando tão bem que praticamente nada me estressa)

Passei o dia preparando as imagens e um lay-out para o site da Santo Trio, não sei nem se vou cobrar deles. Por mim, faria de graça sem problema algum, mas é melhor que eles não fiquem sabendo disso! Vou deixar a critério, cobrar o que eles quiserem ou puderem pagar. Primeiro, porque eu não me sentiria à vontade, segundo, porque através deles, indicaram-me para uma série de pessoas.

moto do dia:

Veritas vos liberabit (máxima luteranista)
In vino veritas
Vino vos liberabit
Ergo bibamus!!
Arquétipo de excelência feminina - exigência, especifidade?

Depois de certo tempo a gente chega em uma fase em que sabe exatamente o que quer, inclusive o tipo de pessoa que procura. Eu costumava definir como seria o tipo de mulher ideal, ao que meus amigos diziam "velho, a mulher que tu descreves está parecendo mais com uma garrafa de vinho!!".

Uma pessoa tranquila, divertida, simpática, inteligente, madura, ponderada, educada, culta, íntegra, bonita, interessante, companheira, ao mesmo tempo corajosa e delicada, afetiva. Quanto menor o "coeficiente de vulgaridade", melhor -- mas sem frescuras, sem protocolos. Uma mulher de categoria. Aquilo que eu passei a chamar de "pessoa com pedigree"..

Defeitos? O que é defeito para uma pessoa pode ser qualidade para outra, então, a não ser em graves falhas de caráter, não acredito em defeitos. Admito que não suporto ignorância, teimosia, egoísmo, futilidade, imaturidade, simploriedade, excesso de hedonismo, mas todavia, acredito em aceitar a pessoa da maneira como ela é. Afinal, somos humanos. Alguns "defeitos" podem até ser adoráveis! Pode ser fácil se apaixonar, mas gostar mesmo, amar, requer tempo e conhecimento. Então, não coloca-se como uma visão maniqueísta de alguém essencialmente bom ou mal, mas como uma visão quase aristotélica da essência humana, qualidades racionais e instintivas.

Uma das coisas que me cativam mesmo é a simplicidade. Ah, tem que gostar de animais. Já conheci pessoas que disseram: "que nojo, ele me lambeu", ou "não deixa chegar perto de mim". Vai ser cheia de frescuras assim... rs

Sei que alguém pode dizer: "cara, tu estás exigente demais", mas se for feita uma análise das qualidades acima mencionadas, não há nada que eu também não tenha! Afinal, eu mais do que mereço. Pode demorar, uma pessoa assim aparece poucas vezes na vida da gente, mas existe! Como há tendência das pessoas atraírem pessoas semelhantes, e adentrando numa fase em que posso escolher praticamente quem eu quero, posso dar-me ao luxo de escolher bem.

Tem gente que tenta ser ou se acha melhor do que outras pessoas, por aquilo que tem - é o tipo de pessoas que não suporto. Já há pessoas -- perdoem a jactanciosidade, mas fico orgulhoso com a pretensão de pensar que é meu caso -- que se sobressaem pelo que são. Pessoas diferenciadas, com o chamado "plus a mais".




Timidez - conhecendo o inimigo

Para algumas pessoas, percebi que minha timidez me faz parecer alguém muito menos interessante do que realmente sou. Sim, ainda que com pessoas mais maduras, observadoras, ou inteligentes, seja mais difícil ocorrer. A timidez pode fazer com que muitas vezes eu não consiga sair de uma posição passiva, e em certas situações é necessário ser mais agressivo.

Timidez é uma qualidade interessante. Pessoas falantes ou extrovertidas demais tendem a ser extremamente chatas e cansativas, além de serem, de modo geral, menos observadoras, decorrendo daí, possivelmente menos capazes de apreenderem as minúcias do universo que as cercam. Antigamente a minha timidez era considerada um charme, fazia o maior sucesso, e sempre que eu precisava passar por cima disso, conseguia. Aliás, é ótimo ser tímido! O problema trata-se de timidez quando esta assume caráter patológico.

Durante os últimos anos, principalmente depois da chamada Grande Crise, depressão, perda de um filho, problemas como o ceratocone, que gerou uma insegurança e fobia, temor de não poder mais exercer alguma aptidões específicas ou insegurança ao convívio social, surgiram algumas características de "transtorno de ansiedade social", mas não que fosse um quadro típico deste. Uma das qualidades específicas é o que se chama de "desmoralização". Ou seja, quando a pessoa tende a menosprezar suas virtudes e qualidades, e magnificar os seus defeitos. Racionalmente, não há motivo para medo algum, e quando isso ocorre, a solução é enfrentar sempre, caso contrário criam-se alguns "tabus" perigosos.

Agora parece que tudo está dando certo. Entre algumas atitudes, mudar me fez muito bem! Ando tranquilo, feliz. Problema: se não é possível resolver na hora, sei que será resolvido mais tarde, e se não tiver solução, acabará esquecido. Então, é como se não houvessem problemas. Então, porque perder tempo pensando neles?
Esse negócio de ter os melhores amigos espalhados pelo planeta às vezes é estranho. Ontem o Klein me ligou. Fiquei surpreso, o que teria feito o alemas me ligar, lá da distante Itapeva?

- Cara, tenho uma novidade. Advinha o que é?
- Não faço a mínima. Vai casar? Vai ser pai?!!
- Não, advinha quem vem aí?
- Sei lá! Acaba com a ensebação e diz duma vez!
- O Jethro Tull vem tocar em Poa, na próxima segunda-feira!
- Pô, eu esperando uma notícia importante, novidades, e tu me vens com essa? Tá, o Jethro vem, boa notícia para a província porto-alegrense que anda fora do calendário, mas e daí? (risos)
- ...

Taí, para quem não sabe, tem Jethro Tull no teatro do SESI, segunda-feira, 21. Não sei se vou, mas fiquei de comprar ingressos para o Klein. Quem mais for, pode me ligar!

sexta-feira, março 12, 2004

Entre as leituras do veraneio, coisas bem light:
- "Quem mexeu no meu queijo?", Johnson, Spencer
Comecei a folhear este livro antes de sair para a praia, quando percebi tinha terminado de ler. Joinha!

- A cabeça de Gumercindo Saraiva, Tabajara Ruas e Elmar Bones
Em 1893, Gumercindo Saraiva, um desconhecido caudilho da fronteira, coloca em risco a jovem república brasileira ao invadir o Rio Grande do Sul à frente de 400 cavaleiros. Rapidamente torna-se o principal chefe militar da Revolução Federalista, a mais sangrenta guerra civil da História do Brasil. Foram dois anos de conflito que deixaram um terrível saldo de 10 mil mortes e uma série de atrocidades, como a degola de prisioneiros nos campos de batalha.

Até os dias de hoje, a personalidade de Gumercindo é cultuada pelos gaúchos dos dois lados da fronteira. O presidente uruguaio, Julio Maria Sanguinetti, orgulha-se de ser seu descendente. O nome de Gumercindo sobreviveu cercado de lendas, muitas vezes contraditórias. Para muitos, foi apenas um bandido extremamente violento. Para outros, um grande herói que lutou em nome da liberdade.

Epa, tambem sou descendente do clã dos Saraiva!

- "Não Leve a Vida Tão a Sério", Prather, Hugh
Tudo aquilo que você já sabe, mas esquece de colocar em prática. Interessante, mas uma idéia sacal para mais de 150 páginas, fiz a chamada "leitura superficial" .


Lista de leituras correntes:
- O Príncipe, Nicoló Machiavelli
- A Utopia, Thomas Morus
resolvi reler ambos os livros.

- O Espírito das Leis, Montesquieu

- Contrato Social, Jean-Jacques Rousseau
e-book??
http://www.constitution.org/jjr/socon.htm


Livros que pretendo ler:

"El Psicoanalista", Katzenbach, John
A Anna Peró estava lendo este livro, falou tão bem que eu fiquei curioso.

"The Da Vinci Code", Dan Brown

Estão ai duas dicas para meu níver... rs
A primeira vez que fiquei chocado com maus tratos a um animal, creio que eu deveria ter uns 16 anos. Um charreteiro espancou um cavalo à relho com absurda violência. Isso porque o pobre bicho, cansadíssimo, estava "lerdo" demais. O lombo do animal sangrava. Uma cena tão desumana que minha vontade era de pegar o relho e dar uma surra no sujeito, autor da atrocidade. Esses charreteiros sao comuns em Porto Alegre, causando ainda varios transtornos ao trânsito. Hoje vi uma cena semelhante, nas imediacoes da Pe. Chagas. Longe da brutalidade da situação anterior, o condutor era pouco mais do que uma criança, de aparência maltrapilha, sofrida. Não sei de quem tenho mais pena, se do animal-bicho ou do animal-homem. A regulamentação e fiscalização desse tipo de situações não poderia ser vista com tanta negligência e descaso.
Cenas de Punta:

Praia. Geralmente ficavamos no "El Emir", preferida nos dias ventosos por possuir uma espécie de abrigo, e pelos surfistas, devido à formação de ondas altas próximas à margem. "La Olla", praia Brava, onde ficava uma alta concentração de brasileiros. A maioria de Bagé, Pelotas e Uruguaiana. Uma noite eu fui sozinho no El Emir, naquele tipo de momento em que a gente quer ouvir o barulhinho das ondas, ficar sozinho, admirar a beleza da praia e refletir um pouco. Admito que dei uma "choradinha", faz parte!!

Cinema. Durante a semana, era o programa preferido da madrugada: Perdidos en Tokio (um filme com pouquíssimas falas); Regreso a Cold Mountain (uma bosta, Nicole Kidman nunca esteve tão pouco convincente na carreira dela, o tal do Jude Law é fraco, o roteiro é piegas, quem salva a película é a atuação brilhante da Renée Zelweger); Capitán de Mar Y Guerra (espetacular, as cenas nas Galápagos, com a Cello Suite no 1 de Bach tocando ao fundo, já vale o filme!); El Ultimo Samurai (legalzinho); El Señor de Los Anillos / El Retorno Del Rey, pt 3 (fiquei babando com os efeitos especiais, e de cara com o final, foi uma injustiça, mas não vou contar!), Rio Místico (excelente atuação de Sean Penn), Alguien Tiene Que Ceder (Jack Nicholson é ótimo), Sexo Con Amor (uma comédia chilena, além de divertida, foi boa para enriquecer o vocabulário em espanhol com algumas "bagaceiradas"...). Não tive tempo de assistir 21 Gramos e Tierra de Sueños.

Outros roteiros da programação: Casino - Conheci o recém inaugurado "Cipriani", um hotel luxuosíssimo, com uma porcaria de casino. Fui na onda da minha prima, a Eleonora, que pediu uma champanhe, e tive que desembolsar quase 30 reais... a abobada pensava que era cortesia! Cortesia era o cafezinho!;

Ferveção no Moby Dick, inferninho que a Anna chamava, com bastante propriedade, de "Moquifo". Às vezes passava na frente do La Plage (uma boate) apenas para ver o movimento, mas apesar dos convites, não fui. Uma das pessoas legais que conheci em Punta foi a Anna Peró. É uns dois anos mais velha do que eu, está morando em Pelotas. Ficamos amigos, mas tão cedo não nos veremos de novo. Inteligente, educada, simpática, tranquila, divertida, ao mesmo tempo simples e elegante. Só faltava ser bonita. Não faltava! Não vou esquecer da primeira vez em que saímos, eu, ela, e minha prima, em que ela disse "amei a companhia de vocês". É sempre um privilégio conhecer pessoas assim.

Comidas: finalmente, um lugar onde é possível comer presunto, com qualidade, boa aparência e sabor. Por sinal, nunca esteve tão barato comer em Punta. Cerveja ao mesmo preço de refrigerante, claro, bebia cerveja. Lembrança do Café irlandés no Las Delices (café vaporizado com whisky e nozes!). Paella acompanhada de uma taça de vinho tinto no Artico. Sorvede do Freddo (dulce de leche tentación). Pizza e Pancho no "La Pasiva". Chivito ao plato no Il Greco. Um churrasco sensacional que eu preparei na primeira semana. Reclamação: é impressionante como nem no Uruguai, nem na Argentina, as pessoas sabem preparar um capuccino decente!!! Para eles, qualquer cortado com canela é capuccino. Enfim, engordei uns 4 ou 5 quilos por lá, mas já retornei ao peso que estava antes.

Adorava sair para dar umas caminhadas, a Marcia foi alguns dias depois e levou o Scott, um Schnauzer lindíssimo, todo de pelagem em tons de gris. Adorava também dar voltas de carro pela costaneira, ou sem rumo, apenas passear, aproveitar a paisagem. Estava bom demais! :)

ATA (A Tocar Agora):
web stream
Love me Tender - um ao vivo do Elvis Presley
Been Caught Stealin' - Janis Addiction

terça-feira, março 02, 2004

Punta, 27/02/2004

pôr-do-sol no porto, da esquerda para a direita:
Eleonora, Ana Luísa, eu, André, Márcia, Mercedes

Foi o melhor veraneio que tive nos últimos 5 anos. Há um monte de coisas para contar, conheci um monte de pessoas legais, tive alguns insights interessantes, mas primeiro tenho que cuidar dos meus e-mails... Eu não tinha mais vontade de voltar, se pudesse ficava por lá para sempre. Voltar para o submundo não está fácil, ainda estou me readaptando!

"A pessoa certa é a que está ao seu lado nos momentos incertos"
Pablo Neruda (1904-1973), autor e poeta. Nobel de literatura.

Books

  • CHESTERTON, G. K.. Ortodoxia
  • CLAUSEWITZ, Carl von. Der Krieg
  • COLERIDGE, S. T. Biographia Literaria
  • EVOLA, Julius. Men Among the Ruins
  • GUDERIAN, Generaloberst Heinz. Panzer Leader
  • GUÉNON, René. The Crisis of the Modern World
  • JUNGER, Ernst. Storm of Steel
  • SCHMITT, Carl. Der Begriff des Politischen
  • SWIFT, Jonathan. Panfletos Satíricos

Fave music:

Syd Barrett's Pink Floyd, Cream & Clapton, King Crimson, Univers Zero, Heldon, Faust, Magma, Mahavishnu Orchestra, Miles Davis, Astor Piazzola, Frank Zappa, Marty Friedman, Al Di Meola, Jefferson Airplane, Led Zeppelin, Funkadelic, Allman Brothers, Blue Cheer, Beatles, U2, Chrome, Velvet Underground, The Stooges, John Cage, Villa-Lobos, Beethoven, Bartók, Stravinsky, Bach... & Coltrane, Coltrane, Coltrane, C-O-L-T-R-A-N-E-!

E SLAYER, PORRA.

Pleonasmo


Powered by Blogger

Resolução mínima recomendada: 800x600


O Autor

O homem só será capaz de atingir sua racionalidade plenamente quando for capaz de despir-se de tudo o que lhe deveria ser abstruso, principalmente os adereços da ignorância e do preconceito.

Plus au sujet de moi: Vous la saurez en temps voulu... Ou peut-être vous ne saurez jamais... Qui sait? Ah, arquétipos: tropismo por mulheres de óculos.


"O casaco de Arabela Tá com bosta na lapela É bom, mas está borrado. Veio o inverno, veio o frio, O casaco ainda serviu, Borrado não é rasgado." Bertolt Brecht


Humor: Les couleurs du chat peuvent changer.